Indústria química - 07/09/2020

Braskem normaliza taxa de utilização das fábricas

Medida visa a retomada do mercado brasileiro


A Braskem anunciou a retomada da taxa de utilização normal de suas centrais no Brasil para atender a alta demanda por resinas termoplásticas de diversos setores no mercado brasileiro. Em maio, a Braskem havia comunicado ao mercado a redução de carga das centrais petroquímicas no país para 64% da capacidade nominal. Agora a Companhia volta à taxa de utilização normal para atender diversos setores, como a indústria de embalagens, alavancada pelos segmentos de alimentação e higiene e limpeza, os fabricantes de equipamentos de proteção individual (EPIs) para profissionais da saúde, o agronegócio e, no último mês, do setor de construção civil, que está voltado às atividades regulares.

“Nossas instalações no Brasil têm como prioridade o atendimento ao mercado interno, que já vinha se estabilizando. Ainda assim, seguimos atendendo os mercados estratégicos de exportações”, analisa o vice-presidente de Olefinas e Poliolefinas América do Sul, Edison Terra.

Em agosto, a Companhia registrou recorde mensal de vendas de resinas de polipropileno (PP), polietileno (PE) e policloreto de vinila (PVC), superando 350 mil toneladas comercializadas no mercado brasileiro. Esse resultado superou a marca histórica doméstica de junho de 2018, quando houve um pico de demanda, que ficou represada devido à greve dos caminhoneiros.

“Nas últimas semanas a recuperação ficou bastante clara dentro do mercado de insumos à cadeia do plástico e isso é uma notícia bastante positiva. É um sinal importante de recuperação econômica da indústria frente a uma pandemia e seus desdobramentos”, complementa Isabel Figueiredo, vice-presidente de Vinílicos e Especialidades.